Soledade de Maria encerra Semana das Dores na Catedral do Pilar

Desde a última sexta-feira os católicos de São João del-Rei tem participado da “Semana das Dores”, também chamada de “Setenário das Dores”. Integrante das celebrações da Quaresma, o rito instiga uma meditação sobre as dores vividas por Maria ao longo da vida de Jesus Cristo. Na Catedral Basílica Nossa Senhora do Pilar a programação se finda amanhã, 26, com a Soledade de Maria.

A cada dia, uma análise de um período diferente da vida de Jesus, do nascimento à ressurreição, mas direcionado ao olhar materno de Nossa Senhora. A trajetória da mãe acompanhando o filho. Uma história de fé que se relaciona com problemas contemporâneos, como explica o pregador deste ano, padre José Léles da Silva, Capelão da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora.

A proposta destas reflexões na quinta semana da Quaresma não é uma escolha aleatória. É uma forma de preparar os católicos para vivenciar a Semana Santa: paixão, morte e ressurreição de Jesus.

O QUE SIGNIFICA A SOLEDADE DE MARIA?

O termo “soledade” tem como significações: “solidão”, “estado de quem se encontra só”, “lugar ermo, deserto ou solitário”. Esse sentido melancólico do referido vocábulo condiz com a “atmosfera” que envolve a Soledade de Nossa Senhora.

Essa cerimônia de influências europeias conquistou grande popularidade no Brasil, alcançando seu apogeu no período Barroco. Ainda hoje é realizada em alguns estados, sobremaneira nas comunidades mineiras.

Com informações da Diocese de São João Del-Rei