Igreja no Mundo

Papa: vida consagrada desabrocha e floresce na Igreja, se se isolar, murcha

A vida consagrada “é olhar que vê Deus presente no mundo, embora a muitos passe despercebido; é voz que diz: ‘Deus basta, o resto passa’; é louvor que brota apesar de tudo”, disse o Papa Francisco na missa deste 2 de fevereiro, Festa da Apresentação do Senhor e XXIII Dia Mundial da Vida Consagrada.
Raimundo de Lima – Cidade do Vaticano

“A vida consagrada não é sobrevivência, é vida nova. É encontro vivo com o Senhor no seu povo. É chamado à obediência fiel de cada dia e às surpresas inéditas do Espírito. É visão daquilo que importa abraçar para ter a alegria: Jesus.”

Foi o que disse o Papa Francisco na homilia da missa na tarde deste sábado, 2 de fevereiro, Festa da Apresentação do Senhor e XXIII Dia Mundial da Vida Consagrada, celebrada na Basílica de São Pedro com os membros dos Institutos de Vida Consagrada e das Sociedades de Vida Apostólica.

Festa do encontro

Ressaltando que a celebração da Apresentação do Senhor recorda a apresentação do Menino Jesus no templo, disse que esta “é a festa do encontro”. “Maria e José, jovens, encontram Simeão e Ana, idosos”, se encontram no templo. “Tudo se encontra quando Jesus chega”, frisou o Pontífice acrescentando que “o Deus da vida deve ser encontrado todos os dias da vida; não ocasionalmente, mas todos os dias”.

Seguir Jesus não é uma decisão tomada uma vez por toda; é uma opção diária, acrescentou.

“Quando O acolhemos como Senhor da vida, centro de tudo, coração pulsante de todas as coisas, então Ele vive e revive em nós. E acontece, também a nós, o que sucedeu no templo: ao redor d’Ele tudo se encontra, a vida torna-se harmoniosa. Com Jesus, reencontra-se a coragem de avançar e a força de permanecer firme.”

Voltar às fontes, reavivar o primeiro amor

Dirigindo-se aos religiosos que pouco antes haviam iluminado a Basílica Vaticana com suas velas acesas no início da celebração, Francisco lembrou que é importante voltar às fontes: “percorrer com a memória os encontros decisivos que tivemos com Ele, reavivar o primeiro amor, talvez escrever a nossa história de amor com o Senhor. Fará bem à nossa vida consagrada, para que não se torne tempo que passa, mas seja tempo de encontro.”

O Santo Padre destacou que a vida consagrada desabrocha e floresce na Igreja; se se isolar, murcha. “Hoje, festa do encontro, peçamos a graça de redescobrir o Senhor vivo, no povo crente, e de fazer encontrar o carisma recebido com a graça do dia de hoje.”

Chamado “segundo a Lei” e “segundo o Espírito”

Francisco explicou que há um dúplice chamado, “segundo a Lei”. É o de José e Maria, que vão ao templo para cumprir o que prescreve a Lei. E um chamado “segundo o Espírito”. É o de Simeão e Ana.

Dois jovens acorrem ao templo chamados pela Lei; dois idosos, movidos pelo Espírito. Que diz à nossa vida espiritual e à nossa vida consagrada este duplo chamado: da Lei e do Espírito? – perguntou o Papa. Que todos somos chamados a uma dupla obediência: à lei – no sentido daquilo que confere boa ordem à vida – e ao Espírito, que faz coisas novas na vida. Assim, nasce o encontro com o Senhor:

“O Espírito revela o Senhor, mas, para O acolher, é necessária a constância fiel de cada dia. Os próprios carismas mais elevados, sem uma vida ordenada, não dão fruto. Por outro lado, as melhores regras não são suficientes sem a novidade do Espírito: lei e Espírito andam juntos.”

Na vida religiosa, fidelidade a coisas concretas

Servindo-se ainda dos textos propostos para a liturgia do dia, Francisco lembrou aos religiosos que Deus nos chama a encontrá-Lo através da fidelidade a coisas concretas, ou seja, a oração diária, a Missa, a Confissão, uma caridade verdadeira, a Palavra de Deus… e isto todos os dias. “Coisas concretas, como na vida consagrada a obediência ao Superior e às Regras. Se se praticar esta lei com amor, sobrevem o Espírito e traz a surpresa de Deus, como no templo e em Caná. Então a água da cotidianidade transforma-se no vinho da novidade; e a vida, que parece mais presa, na realidade torna-se mais livre.”

A vida consagrada “é olhar que vê Deus presente no mundo, embora a muitos passe despercebido; é voz que diz: ‘Deus basta, o resto passa’; é louvor que brota apesar de tudo”, concluiu o Santo Padre afirmando ainda o que é a vida consagrada:

“Louvor que dá alegria ao povo de Deus, visão profética que revela aquilo que conta. Quando assim é, floresce e torna-se para todos um apelo contra a mediocridade: contra as quedas de altitude na vida espiritual, contra a tentação de jogar por baixo com Deus, contra a adaptação a uma vida cômoda e mundana, contra a reclamação, insatisfação e lamento da própria sorte, contra o habituar-se a ‘fazer aquilo que se pode’ e ao ‘sempre se fez assim’.”

Agradecimento do cardeal João Braz de Aviz ao Santo Padre

Ao término da celebração o prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, cardeal João Braz de Aviz, dirigiu uma saudação e agradecimento ao Santo Padre por celebrar mais uma vez com os religiosos o Dia Mundial da Vida Consagrada.

Papa dá uma prímula às religiosas que moram no Vaticano

Neste 2 de fevereiro, o Papa Francisco, como no ano passado nesta data em que a Igreja celebra a Festa da Apresentação do Senhor e Dia da Vida Consagrada, fez chegar através de seu esmoleiro, cardeal Konrad Krajewski, uma prímula às religiosas que moram no Vaticano, cerca de cinquenta ao todo.

Papa confia à Virgem Maria visita aos Emirados Árabes Unidos

O Santo Padre foi na noite deste sábado (02/02) à Basílica romana de Santa Maria Maior, detendo-se em oração diante do ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani, em vista de sua iminente viagem aos Emirados Árabes Unidos.

Cidade do Vaticano

Como faz habitualmente, o Papa Francisco confiou a Nossa Senhora sua 27ª viagem apostólica internacional, na qual visitará os Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 de fevereiro (deste domingo até a próxima terça-feira.

Na noite deste sábado (02/02) o Santo Padre foi até a Basílica de Santa Maria Maior detendo-se em oração diante da Virgem Salus Populi Romani. O Pontífice parte na tarde deste domingo com destinação Abu Dhabi. Francisco é o primeiro Pontífice a visitar os Emirados Árabes Unidos – formado por sete emirados na entrada do Golfo Pérsico, no Oriente Médio.

Com informações do Vatican News