Igreja no Mundo

Papa ordena 19 sacerdotes: “Sejam próximos ao povo de Deus” e Regina Caeli

“Considerem que exercendo o ministério da doutrina sagrada, vocês serão partícipes da missão de Cristo, o único mestre. Isto não é uma associação cultural, não é um sindicato: vocês serão envolvidos no mistério de Cristo”, disse o Papa na homilia.

Cidade do Vaticano

Neste domingo do Bom Pastor, 56º Dia Mundial de oração pelas vocações, a Diocese de Roma ganhou 19 sacerdotes, ordenados pelo seu bispo, o Papa Francisco, na Basílica de São Pedro.
Concelebraram com o Papa os Cardeais Angelo De Donatis, Vigário de Roma, Santos Abrul y Castellò, arcipreste emérito da Basílica de Santa Maria Maior.

Há 15 italianos entre os 19 ordinandos, enquanto os outros quatro são originários da Croácia, Peru, Haiti, e Japão. Oito pertencem à Fraternidade Sacerdotal do Filhos da Cruz; um é membro da Família dos Discípulos; dois provêm do Pontifício Seminário Maior Romano e oito do Colégio Diocesano Redemptoris Mater.

Na ordenação presbiteral, o Papa pronunciou a ‘Homilia ritual’, prevista pelo Pontifical Romano, com alguns acréscimos.

“Considerem que exercendo o ministério da doutrina sagrada, vocês serão partícipes da missão de Cristo, o único mestre. Isto não é uma associação cultural, não é um sindicato: vocês serão envolvidos no mistério de Cristo”.

E ainda improvisando, recomendou:

“Nunca se pode fazer uma homilia, uma pregação sem muita oração, com a Bíblia na mão. Não se esqueçam disto!”, disse, convidando os novos sacerdotes a serem “homens de oração, homens de sacrifício”.

O Pontífice pediu aos novos sacerdotes principalmente ‘proximidade’, explicando:

“Sejam próximos de Deus na oração, próximos ao bispo, que é o seu pai, próximos no sacerdócio como irmãos, sem ‘acotovelar-se’ um contra o outro; próximos ao povo de Deus, tendo sempre diante dos olhos o exemplo de Cristo, o bom pastor que não veio para ser servido, mas para servir”.

“Estejam atentos na celebração da Eucaristia; reconheçam e reflitam sobre o que celebrarem, porque participando ao mistério da morte e da ressurreição do Senhor vocês levam a morte de Cristo em seus membros e caminham com ele em unidade de vida”.

“O Senhor quis salvar-nos gratuitamente; Ele mesmo nos disse: ‘Deem gratuitamente aquilo que receberam gratuitamente’. A celebração da Eucaristia é o ápice da gratuidade do Senhor. Não a sujem com interesses mesquinhos”.

O Papa alertou ainda: “Não se cansem de ser misericordiosos, tal como o Pai, tal como Jesus foi misericordioso com vocês”; “Gastem tempo visitando os doentes, tentem agradar a Deus e não a si mesmos; a alegria sacerdotal se encontra exclusivamente seguindo este caminho: tentando agradar a Deus”.

Papa agradece e pede um aplauso às Mães do mundo

No momento do encontro com os fiéis para rezar o Regina Coeli, o Papa ainda lembrou o Dia de Oração pelas Vocações e saudou os sacerdotes recém-ordenados e suas famílias.

Cidade do Vaticano

Poucos minutos após celebrar a Eucaristia e ordenar 19 novos sacerdotes para a sua diocese, o Bispo de Roma foi ao balcão da janela de seu escritório para o tradicional momento da oração mariana dominical que, nesta época do Ano Litúrgico, é o Regina Coeli.

Nossa intimidade com Jesus

Neste domingo (12/05), milhares de pessoas o aguardavam para ouvir suas palavras e em seguida, rezar com ele. Francisco iniciou refletindo sobre o Evangelho do dia, conhecido como o do Bom Pastor.

“O Bom Pastor – Jesus – está atento a cada um de nós, nos procura e nos ama, dirigindo-nos a sua palavra, conhecendo em profundidade o nosso coração, os nossos desejos e as nossas esperanças, bem como os nossos fracassos e as nossas decepções. Acolhe-nos e ama-nos como somos, com os nossos pontos fortes e fracos. Para cada um de nós ‘dá a vida eterna’: isto é, oferece-nos a possibilidade de viver uma vida plena, sem fim. Além disso, nos guarda e nos guia com amor, ajudando-nos a percorrer as trilhas mais arriscadas que surgem no caminho da vida”.

Assim sendo, completou o Papa, devemos corresponder às atitudes ternas e carinhosas do Senhor, manter intimidade com Ele, segui-lo, saindo do labirinto dos caminhos errados, abandonando o comportamento egoísta, para nos colocarmos nos novos caminhos da fraternidade e do dom de nós mesmos, imitando-o. Ou seja, viver nossa relação com Cristo em plena confiança e familiaridade.

Apresentá-lo a quem não O conhece

“Desta forma, podemos também atrair para Ele as pessoas que o procuram, mas talvez sem o saber. Há muitas pessoas, que só Deus conhece em seus corações, e que já são Suas ‘ovelhas’, mas precisam de um irmão ou irmã para levá-las a Jesus Cristo. Poder fazer isso é uma grande graça e uma grande alegria!”.

Neste sentido, concluiu o Papa, “que Maria, Mãe de Cristo Bom Pastor, ajude os chamados ao sacerdócio e à vida consagrada a acolher com alegria e disponibilidade o convite de Cristo para ser seus colaboradores mais diretos no anúncio do Evangelho e no serviço do Reino de Deus no nosso tempo”.

Mães, obrigado por tutelar o valor da família

Francisco rezou a oração do Regina Coeli e concedeu a todos a sua bênção apostólica e se despediu dos fiéis, romanos, e peregrinos com uma saudação inicial a todas as Mães do mundo, pedindo um aplauso a elas e recordando aquelas que continuam, ‘do céu’, a velar por nós com suas orações.

Em seguida o Papa chamou à sua janela dois sacerdotes recém-ordenados e com eles, abençoou novamente todos os presentes.

Com informações do Vatican News

Paróquia de Sant'Ana do Barroso
Criada por provisão episcopal de 17 de janeiro de 1884. Foi fundada por Antônio da Costa Nogueira em 1729.