Igreja no Mundo

Papa: o Espírito Santo, que guia a Igreja, faz brilhar o rosto autêntico desejado por Jesus

O Papa Francisco, na alocução que precedeu a Oração Mariana do Regina Coeli deste domingo (26), comentou o Evangelho do dia e explicou que a Igreja não é uma realidade estática, “precisa se libertar dos laços mundanos representados pelos nossos pontos de vista, pelas nossas estratégias, pelos nossos objetivos, que muitas vezes sobrecarregam o caminho da fé”.

Andressa Collet – Cidade do Vaticano

O domingo (26) de tempo encoberto e com chuva em Roma foi iluminado pelas palavras do Papa Francisco durante o Regina Coeli, na Praça São Pedro. Na alocução que precedeu a Oração Mariana, o Pontície comentou o Evangelho do dia (Jo, 14,23-29) quando Jesus se dirigiu aos Apóstolos na Última Ceia e falou “da obra do Espírito Santo”, o “Defensor”, que por meio dele apoiaria “na missão de levar o Evangelho para todo o mundo”.

“Durante a sua vida terrena, Jesus transmitiu tudo o que queria confiar aos Apóstolos: cumpriu a Revelação Divina, isto é, tudo aquilo que o Pai queria dizer à humanidade com a encarnação do Filho.  A tarefa do Espírito Santo é aquela de recordar, isto é, de fazer compreender em plenitude e induzir a realizar concretamente os ensinamentos de Jesus.”

A ação do Espírito Santo

O Papa, então, enfatizou que é bem essa a missão da Igreja, que atua através de um estilo de vida preciso, caracterizado por algumas exigências: “a fé no Senhor e o respeito à sua Palavra; a docilidade pela ação do Espírito Santo, que torna continuamente vivo e presente o Senhor Ressuscitado; o acolhimento da sua paz e o testemunho através de um comportamento de abertura e de encontro com o outro”.

“Para realizar tudo isso que a Igreja não pode ficar estática. Precisa se libertar dos laços mundanos representados pelos nossos pontos de vista, pelas nossas estratégias, pelos nossos objetivos, que muitas vezes sobrecarregam o caminho da fé; e nos colocar em dócil escuta da Palavra do Senhor. Assim é o Espírito de Deus que nos guia e guia a Igreja para que através dela brilhe o rosto autêntico, belo e luminoso, desejado por Cristo.”

Francisco enaltece o convite feito pelo Senhor, que nos convida a abrir o coração ao dom do Espírito Santo para nos guiar pelos caminhos da história e “para que possamos acolher a Palavra de Deus e testemunhá-la com a nossa vida”.

“ Ele, dia a dia, nos educa à lógica do Evangelho, à lógica do amor acolhedor, ‘nos ensinando tudo’ e ‘nos recordando tudo aquilo que o Senhor nos disse’. ”

Saudações finais do Papa

Depois da Oração Mariana do Regina Coeli, o Papa fez as suas saudações finais, primeiro aos romanos e peregrinos. Depois, em especial, lembrou dos muitos jovens crismandos de Gênova presentes na Praça São Pedro que, no sábado (25), o visitaram no Vaticano.

A saudação e a bênção também foi dirigida aos peregrinos poloneses, que participam da grande peregrinação ao Santuário Mariano de Piekari Slaskie. E, por ocasião do “Dia do Alívio”, o Papa Francisco dirigiu um pensamento especial a quem se reuniu no Policlínico Gemelli, de Roma, para promover iniciativas de fraternidade com os doentes.

Veja o vídeo do Regina Coeli do Papa Francisco, com comentários em português

Com informações do Vatican News

Paróquia de Sant'Ana do Barroso
Criada por provisão episcopal de 17 de janeiro de 1884. Foi fundada por Antônio da Costa Nogueira em 1729.