Igreja no Mundo

Papa no Angelus: prepotência, sede de poder e de riquezas contrastam com a fé cristã

Francisco recordou o Dia da Infância Missionária, celebrado este sábado, e felicitou algumas Igrejas orientais, católicas e ortodoxas, que este domingo, dia 7, celebram o Natal do Senhor.

Cidade do Vaticano

Após a celebração da Santa Missa, na Basílica de São Pedro, pela Solenidade da Epifania, o Papa Francisco assomou, ao meio-dia deste sábado (06/01), à janela da Residência Apostólica, que dá para a Praça São Pedro, para rezar a oração mariana do Angelus, com os milhares de fiéis e peregrinos presentes.

Guiados pela estrela, chegaram a Jerusalém

Em sua alocução, o Santo Padre citou três atitudes, destacadas pelo Evangelho deste sábado, Solenidade da Epifania, para o acolhimento de Jesus e a sua manifestação ao mundo: busca ansiosa, indiferença, medo.

Magos a caminho, em busca do Menino Jesus

Os Reis Magos não hesitaram a pôr-se a caminho em busca do Messias. Após uma longa viagem, guiados pela estrela, chegaram a Jerusalém e perguntaram a Herodes, aos Sumos Sacerdotes e aos Escribas onde poderiam encontrar o recém-nascido para adorá-lo. Explicando esta atitude evangélica, o Papa acrescentou a segunda, ou seja, a indiferença:

Esta busca ansiosa dos Magos é contraposta pela indiferença, dos Sumos Sacerdotes e dos Escribas. Conhecendo as Escrituras, eles sabiam onde era o lugar do nascimento de Jesus, mas não se incomodaram de ir visitá-lo, não obstante Belém estivesse a poucos quilômetros. Ainda pior, foi a atitude de Herodes, que queria saber onde estava o Menino, não para adorá-lo, mas para matá-lo, por medo de perder seu poder para aquele que considerava seu rival”. Logo, Francisco destaca as três atitudes do Evangelho da Solenidade da Epifania: busca ansiosa, indiferença, medo. E ponderou:

Jesus pode ser visto como obstáculo diante das ambições humanas

O egoísmo pode levar a considerar a vinda de Jesus, na nossa vida, como uma ameaça. Então, procuramos suprimir ou calar a sua mensagem. Diante das ambições humanas, perspectivas incômodas e inclinações do mal, Jesus é visto como obstáculo. Diante da tentação da indiferença, os cristãos são incoerentes com a sua fé, seguindo os príncipes deste mundo: satisfazer as inclinações da prepotência, a sede de poder e as riquezas”.

Ao contrário, disse o Papa, somos chamados a seguir o exemplo dos Magos: sua busca ansiosa para encontrar Jesus, adorá-lo, reconhecê-lo como Senhor e Salvador, como Caminho, Verdade e Vida. Ao término da sua alocução mariana, o Santo Padre invocou a Mãe de Jesus e nossa, para que, com a sua intercessão, possamos encontrar Cristo, a fim de progredirmos no caminho da justiça e da paz.

Depois da oração do Angelus, o Papa passou a cumprimentar os diversos grupos de fiéis presentes na Praça São Pedro. Antes de tudo, recordou que algumas Igrejas orientais, católicas e ortodoxas, celebram, este domingo, o Natal do Senhor:

A estas Igrejas dirijo as minhas felicitações mais cordiais. Que esta celebração seja fonte de novo vigor espiritual e de comunhão entre todos os cristãos, que reconhecem Jesus como Senhor e Salvador”.

Dia da Infância Missionária

A seguir, Francisco recordou o Dia da Infância Missionária, que se celebra neste sábado (06/01). A todas as crianças e adolescentes missionários convidou a dirigir seus olhares ao Menino Jesus, para que ele seja a guia preciosa no seu compromisso de oração, fraternidade e partilha entre seus coetâneos mais necessitados.

Por fim, cumprimentou os participantes na manifestação folclórica da XXIII edição de “Viva a Epifania”, promovida pela Associação Famílias Europeias, cujo objetivo é reafirmar e transmitir o verdadeiro significado espiritual e os valores da Epifania do Senhor.

Com informações do Vatican News

Paróquia de Sant'Ana do Barroso
Criada por provisão episcopal de 17 de janeiro de 1884. Foi fundada por Antônio da Costa Nogueira em 1729.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *