Igreja no Mundo

Papa na audiência: “Jesus e seu Reino vêm a nós todos os dias”



Nesta Quarta-feira de Cinzas, o Papa desejou a todos um frutuoso caminho quaresmal que permita encontrar e seguir mais de perto Jesus, até poder dizer, com São Paulo, “já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim”.

Cristiane Murray – Cidade do Vaticano

Nesta bela quarta-feira de sol, antecedendo a primavera, o Papa foi acolhido por milhares de fiéis na Praça São Pedro, onde concedeu a audiência geral.

Francisco propôs a todos uma catequese de continuidade com o ciclo iniciado há algumas semanas sobre a oração do Pai Nosso. Desta vez, se deteve no verso ‘Venha a nós o vosso reino’, a segunda invocação com a qual nos dirigimos a Deus.

Os sinais da vinda deste Reino são muitos e todos positivos”, disse o Papa, lembrando que Jesus iniciou seu ministério curando os doentes no corpo e no espírito. Seja aqueles marginalizados e excluídos, os leprosos, como os pecadores, desprezados por todos, são sinais de que este mundo ainda está marcado pelo pecado e habitado por tanta gente que sofre, pessoas que não sabem se reconciliar nem perdoar, guerras e muitos tipos de exploração.

Tudo isso demonstra que a vitória de Cristo ainda não se completou e tantos homens e mulheres ainda vivem com o coração fechado. Quando nós cristãos dizemos: ‘Venha a nós o vosso Reino’, significa ‘Precisamos de Vós, em todos os lugares e para sempre, em meio de nós’.Ouça a reportagem completa com a voz do Papa

Embora se realize lentamente, e seja certamente a maior força que existe, o Reino de Deus é como o fermento na farinha: não aparece muito, mas é ele que faz crescer a massa. É um ‘destino’ que podemos intuir na própria vida de Jesus. Ele também foi como uma ‘semente de mostarda’ que morreu na terra para ‘dar muito fruto’.

‘Venha a nós o vosso Reino!’: semeemos esta palavra em meio aos nossos pecados e tropeços. Ofereçamos esta invocação às pessoas vencidas e abatidas, a quem experimentou na vida mais ódio que amor, a quem viveu tantos dias inúteis sem entender porquê. Vamos doá-la a quem lutou pela justiça, a todos os mártires da história, a quem combateu por nada… Escutaremos então a oração do Pai Nosso responder, repetindo pela enésima vez aquelas palavras de esperança do Espírito Santo: “Sim, eu venho em breve. Amém!”.

Com informações do Vatican News



Paróquia de Sant'Ana do Barroso
Criada por provisão episcopal de 17 de janeiro de 1884. Foi fundada por Antônio da Costa Nogueira em 1729.