Igreja no Mundo

AUDIÊNCIA GERAL COM O PAPA: “ME SENTI TÃO PRÓXIMO À IGREJA COMO NUNCA”, DIZ SEMINARISTA

A Audiência Geral desta quarta-feira (22), no Vaticano, reuniu, como sempre, vários grupos provenientes do Brasil especialmente para o ver e ouvir a catequese do Papa Francisco. Na delegação do Paraná estava um jovem seminarista de Cambira que afirmou: “pude me sentir tão próximo como jamais me senti de toda a Igreja, de toda a minha religiosidade”.

Andressa Collet – Cidade do Vaticano

As bandeiras do Brasil povoaram vários ângulos da Sala Paulo VI durante a Audiência Geral desta quarta-feira (22). Entre os vários grupos de brasileiros estava uma pequena delegação da cidade de Cambira, no Paraná. A empresária Dayane Corsini, pela segunda vez em Roma para ver o Papa, deu seu testemunho:

“A emoção é muito grande de poder estar perto do Papa. Só tenho a agradecer a Deus por essa oportunidade. Eu fico sempre emocionada por estar aqui… Se todas às vezes que eu vier a Roma, puder vier à audiência, eu virei para vê-lo.”

A hospitalidade ecumênica

Os grupos de fiéis participam, inclusive, para ouvir as catequeses do Papa. Nesta quarta-feira, em especial, Francisco deu destaque ao tema da hospitalidade da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos que termina no próximo sábado, dia 25. No Brasil é celebrada entre a Ascensão e Pentecostes.

O Papa afirmou que a hospitalidade é uma virtude ecumênica e o testemunho de uma “humanidade rara”, já que é manifestada por gestos de carinho que são o “amor de Deus em atos concretos de bondade”:

“A hospitalidade ecumênica exige disposição para ouvir os outros, prestando atenção em suas histórias pessoais de fé e na história de sua comunidade, comunidade de fé com outra tradição diferente da nossa.”

Perto da Igreja como nunca

O seminarista brasileiro de 18 anos, Bruno de Lima Marezi, de Cambira, Paraná, também participou da Audiência Geral desta manhã com o Papa, testemunhando as palavras sobre a hospitalidade. Ele está no primeiro ano de Filosofia do Seminário Maior São João Maria Vianney, de Apucarana/PR.

Um momento inesquecível para Bruno que viu o Papa pela primeira vez e conseguiu tocar no Pontífice:

“O Sumo Pontífice é o maior símbolo de unidade com a Igreja. Então, ele não representa só uma pessoa, mas ele representa o corpo místico de Cristo e a união com ele. Eu pude me sentir tão próximo como jamais me senti de toda a Igreja, de toda a minha religiosidade. Um momento que vou guardar no coração para que eu possa levar para o meu futuro sacerdócio.”

Com informações do Vatican News

Paróquia de Sant'Ana do Barroso
Criada por provisão episcopal de 17 de janeiro de 1884. Foi fundada por Antônio da Costa Nogueira em 1729.