Diocese de Petrópolis autoriza celebração de Missa tradicional

Através de um Decreto Diocesano publicado na última quarta-feira, 18, o Bispo de Petrópolis, Dom Gregório Paixão, OSB, autorizou os sacerdotes da diocese ordenados até o dia 16 de julho de 2021 a celebrarem a Santa Missa utilizando o Missal Romano promulgado por São João XXIII em 1962.

Desta forma, o prelado cumpre o que foi determinado no Motu Proprio ‘Traditionis Custodes’, sobre a Liturgia Romana à Reforma de 1970, escrito pelo Papa Francisco. Neste documento, o pontífice restringe o uso da liturgia anterior à reforma do Concílio Vaticano II.

O uso do Missal Romano de 1962 não causa problemas de ordem pastoral

Segundo Dom Gregório, “o uso do Missal Romano de 1962, quer para celebração privada ou para grupos de fiéis, não causa problemas de ordem pastoral e não há exclusão da Reforma Litúrgica ocorrida com o Concílio Vaticano II e orientação do Magistério dos Sumos Pontífices”.

Em seu decreto, o Bispo Diocesano indica ainda a Capela São Francisco, dentro do território da Paróquia São Judas Tadeu, para a celebração da Santa Missa conforme o Missal Romano de 1962. Essas celebrações podem ocorrer diariamente, inclusive aos domingos, e contar com a participação dos fiéis.

Leituras devem ser feitas na língua vernáculo

O Padre Antônio de Pádua Andrade dos Santos, do Clero da Administração Pessoal São João Maria Vianney, foi nomeado como Delegado Episcopal e Responsável pela celebração da Santa Missa conforme o Missal Romano de 1962. O sacerdote é o atual Vigário Paroquial da Mosela.

No decreto Dom Gregório Paixão determina ainda que, durante estas celebrações eucarísticas, “as leituras dos textos das Sagradas Escrituras sejam feitas em vernáculo, segundo a tradução da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil”. (EPC)

Com informações do Gaudium Press