Histórico da Paróquia

O nome Barroso se deve ao imigrante português Alferes Joaquim Barroso, proprietário do sítio do Barroso, parada de viajantes inconfidentes. No ano de 1729, a fazenda ou sítio do Barroso, já então pertencente ao português Antônio da Costa Nogueira, é dotada de uma capela dedicada a Senhora Sant’Ana.

A região onde foi edificada a Matriz de Sant’Ana era conhecida antigamente como “Largo do Rosário” por existir ali uma capela dedicada a nossa senhora do Rosário, construída pelos escravos no século XVII. A Matriz de Sant’Ana era uma construção modesta nestes tempos, mas no Século XVIII, recebeu uma torre e duas sacristias por volta de 1884, quando foi elevada a Paróquia. A paróquia foi criada por provisão do Arcebispo de Mariana-MG, em 17 de Janeiro de 1884, consta no livro “Arquidiocese de Mariana” de autoria do Cônego Raimundo Otávio da Trindade onde se lê o seguinte:“Paróquias do Arcebispado de Mariana. Sant’Ana do Barroso. Criada por provisão episcopal de 17 de janeiro de 1884,(…). Sant’Ana foi fundada por Antônio da Costa Nogueira em 1729. Pertence à Comarca Eclesiástica de Barbacena.” sendo nomeado o seu primeiro vigário o Pe. João José dos Passos Silva, que tomou posse no dia 10 de Fevereiro do mesmo ano.

A Paróquia foi inicialmente atendida pelos padres da Paróquia de Nossa Senhora da Piedade, de Barbacena-MG. A população barrossense começou a crescer gradativamente, razão pela qual o Bispo Dom Antônio Augusto de Assis, numa visita pastoral em 1927, pediu a construção da Matriz aproveitando os alicerces deixados pelos escravos próximo a capela do Rosário. Arthur Napoleão de Souza coordenou as obras de 1927 a 1931.

A inauguração da nova matriz aconteceu em 1931, na festa de Sant’Ana. Devido a nova construção a invocação das homenagens foram trocadas: a antiga Matriz se tornou a igreja do Rosário e a Igreja do Rosário tornou-se a Matriz de Sant’Ana como também podemos ver nos escritos de Geraldo Napoleão de Souza citados abaixo.

No livro chamado “Barroso – Subsídios para a história do Município” de Geraldo Napoleão de Souza narra este fato interessante sobre nossa paróquia e mais alguns detalhes:” Antigamente, onde está a atual Matriz de Sant’Ana, havia a Capelinha do Rosário, construída pelos escravos. chegaram aos alicerces de uma igreja maior, mas a construção ficou apenas nas bases, porque com a abolição dispersaram-se os escravos. Por sugestão do Bispo D. Assis a capelinha do Rosário foi bastante ampliada, para se tornar-se em nova Matriz. As obras, coordenadas por Arthur Napoleão de Souza, terminaram em 1931. A partir desta data, a antiga Matriz passou à condição de Capela do Rosário, enquanto a Capelinha do Rosário, ampliada, transformou-se em Matriz de Sant’Ana.” No período de 1933 a 1939, o pároco Boanerges de Souza, adquiriu para a Matriz, bancos com genufletórios, 2 púlpitos, novos paramentos e um harmônio. E realizou a construção da capela do Santíssimo, anexa à Matriz, cujo o altar era feito de madeira.

O saudoso Padre Luiz Giarola Carlos, em 1945, vendo a iminência da instalação da fábrica de cimento em Barroso e um possivel aumento populacional no municipio determinou a ampliação da Matriz de Sant’Ana. Os serviços da ampliação foram realizados por Sebastião Venâncio dos Santos e acompanhados pelo vigário durante nove anos desta obra. Relata Geraldo Napoleão no seu livro: “Depois no decorrer dos anos 50, passou por reformas, internas e externamente, com acréscimos de alas laterais, e adoção de estilo gótico.”

Houve nesta época, a abertura de crédito especial vindo da Prefeitura de Dores de Campos, para auxiliar a ampliação da Matriz em 1949. Aconteceu a instalação da Luz fluorescente com lustres de bronze polido, e em 17 de outubro de 1954, com a presença do arcebispo Dom Helvécio Gomes de Oliveira, a Matriz era reinaugurada, sendo considerada um dos mais belos templos católicos da região. No dia 21 de maio de 1960, o Papa Beato João XXIII, na sua Bula Quandoquidem novae, cria a Diocese de São João Del-Rei. Diocese esta que foi desmembrada da Arquidiocese de Mariana, da Diocese de Campanha e da então Diocese de Juiz de Fora. A instalação da diocese ocorreu no dia 6 de novembro de 1960, às 9h, na Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar. E desde então a Paróquia de Sant’Ana do Barroso pertence a Diocese de São João Del-Rei-MG.

A Matriz de Sant’Ana foi consagrada em 23 de outubro de 1977, pelo Bispo Dom Delfim Ribeiro Guedes, que também procedeu à benção dos novos sinos, em 27 de outubro de 1981. Um pároco que se destacou bastante e faz parte da história de muitos barrossenses é o Cônego Luiz Giarola Carlos. Seu trabalho se destacou pela infra-estrutura e construções, formação do povo, participação e preocupação com emancipação do município, intervenção na educação com o antigo ginásio São José, serviço de caridade cristã com o hospital de Barroso e Asilo, a vinda das irmãs Franciscanas e o seu testemunho de Fé.

“Desde 1988, quando assumiu a paróquia, o Pe. Fábio José Damasceno, atual pároco, vem realizando um trabalho em prol de “uma evangelização mais próxima”, como denomina o próprio padre. “Quando eu assumi, tudo era muito centralizado na Matriz. Então, começamos um trabalho com a comunidade, de construção de identidade para descentralização. Criamos o que o Documento de Santo Domingos chama de Rede de Comunidades. Isso propiciou a geração de lideranças leigas, o que acabou fortalecendo às próprias pastorais”, conta Pe. Fábio. Hoje, estão em atividade 26 pastorais e movimentos.

Atualmente, a paróquia já dispõe de um Centro de Evangelização Sant’Ana (Cesan), onde são realizados encontros, reuniões, retiros, catequeses, etc. Possui uma escola de ensino fundamental e médio – o Colégio São José ( Atualmente Colégio Invictus). Realiza um trabalho de acompanhamento do hospital e asilo da cidade junto ao Instituto Nossa Senhora do Carmo, além de administrar o cemitério do município. “É uma paróquia especial, de vanguarda. Com trabalhos em que os leigos são realmente valorizados. Eles assumem, levam a sério e se dedicam à comunidade”, conclui Pe. Fábio.” (Retirado do site http://www.diocesedesaojoaodelrei.com.br/)

Destaca-se do atual pároco as diversas construções realizadas como as Igrejas de São José, de Nossa Senhora Aparecida e de Santa Terezinha, além de muitas outras construções como o Cepas. Seu trabalho em relação a formação dos leigos, assistência aos pobres , valorização dos sacramentos, incrementação de momentos fortes na paróquia( como festa de Sant’Ana, Corpus Christi e outros) demonstram o forte traço pastoral e de fé do Padre Fábio. Outros pontos fortes e marcantes do trabalho do Padre Fábio são a recriação do Colégio São José, em 1998, e a criação da Paróquia de Nossa Senhora do Rosário de Fátima em 1999, paróquia esta que surgiu da Paróquia de Sant’Ana.

Fonte:
Textos de Wellington José Tibério
Livro “Barroso – Subsídios para a história do Município” de Geraldo Napoleão de Souza
Textos publicados no Jornal Informe Sant”Ana
Site: www.diocesedesaojoaodelrei.com.br
Foto Matriz primitiva: Livro “Barroso – Subsídios para a história do Município” de Geraldo Napoleão de Souza