Artigos

O que um católico deve fazer com as correntes de oração do WhatsApp?

De uns tempos para cá, estamos recebendo mensagens com orações a Deus, aos santos e em especial a Nossa Senhora com o pedido de passar estas orações para o maior número possível de pessoas de nossa lista de contatos. E se não o fizermos não receberemos as bênçãos de Deus e estaremos sujeitos a castigos.

Diante disso, muitos católicos se perguntam: “se eu não fizer isso vou sofrer punições”? “Se eu jogar no lixo essas orações estarei com minha família e meus amigos correndo o risco de ficar sem as preciosas bênçãos de Deus e de Maria“? “Algumas orações são tão bonitas que não posso privar a outras pessoas de rezarem assim também e se não passando pra frente estarei com o pecado de omissão?”

O QUE UM CATÓLICO DEVE FAZER ENTÃO QUANDO RECEBER ESSES TIPOS DE MENSAGENS ?

Encontrei uma resposta teológica e muito didática de um padre do México: Pe. Sérgio Román. Reproduzo aqui, com pequenas alterações, um resumo de seu artigo “ Desde la Fé”: O QUE FAZER?

“Em 1º lugar, o que devemos fazer é recordar que Deus não colocou condições na hora de convidar seus discípulos para rezar, por isso, o recomendável é apagar o texto, mesmo que quem lhe tenha enviado seja seu melhor amigo ou amiga. E não acontece nada? Absolutamente nada! Não se preocupem”.

2º lugar, ao recebermos esses tipos de corrente, devemos aproveitar como uma recordação para rezarmos mais pelas necessidades do mundo, dos pobres, da vida de cada dia. Mas é preciso deixar claro que tais correntes são intrinsecamente ruins e não devem ser feitas nem seguidas, porque apresentam uma imagem errada e supersticiosa de Deus.

Em 3º lugar, termos uma legítima devoção a Jesus, a Virgem Maria e aos santos, porque, “dessa maneira, estaremos fazendo uma propaganda boa que servirá para ajudar outras pessoas e incentivá-las a compartilhar sua devoção”.

PORQUE AS CORRENTES DE ORAÇÕES NÃO SÃO RECOMENDÁVEIS

1. Porque causam desconforto: Embora essas correntes sejam feitas por “pessoas de boa fé que pensam que desse modo ajudarão a fomentar a devoção a algum santo”, o Pe. Sérgio Román escreve que “a única coisa que fazem é causar desconforto aos seus contatos sobretudo àqueles que, por falta de conhecimento, se deixam escravizar pelas correntes”.

2. Porque fomentam superstições: Fomentam a superstição ao fazer acreditar que as graças divinas dependem da repetição sem sentido de uma ação que não tem nenhuma importância.

3. Porque assemelham-se à magia ou bruxaria: “As correntes fazem fronteira com magia ou bruxaria; quando se atribui às coisas o poder que só Deus tem e porque se considera que existam fórmulas infalíveis para forçar Deus a satisfazer os nossos caprichos e desejos”.

O importante é rezar sempre com preces espontâneas brotadas em seu coração ou com aquelas orações aprovadas pela Igreja, sem impor condições e limites a Deus, que nos ama sempre e sabe o que é melhor para cada um. Um Deus Amor, um Deus Misericórdia, um Deus que está sempre do nosso lado e jamais contra nós, seus filhos e filhas.

Com informações da Diocese de São João Del-Rei

Paróquia de Sant'Ana do Barroso
Criada por provisão episcopal de 17 de janeiro de 1884. Foi fundada por Antônio da Costa Nogueira em 1729.